Zuckerberg perde mais de US$ 6 bilhões enquanto paralisação do império do Facebook se arrasta por horas

Com apagão que já se estende por horas, Zuckerberg perdeu US$6,7 bilhões até o momento e deixou sua posição no top5 dos maiores bilionários do mundo

504

Mark Zuckerberg está enfrentando sérias consequências financeiras, de acordo com a Forbes, perdendo bilhões de dólares, bem como sua classificação de quinto homem mais rico a medida que os usuários continuam sendo desligados do Facebook, Messenger, Instagram e WhatsApp.

Depois de reclamações em massa sobre as várias plataformas estarem desligadas e usuários recebendo mensagens de erro, o Facebook disse estar “trabalhando para resolver o problema”.

Como as plataformas continuam caídas por horas, mais e mais se acumulou em Zuckerberg e foram para outros aplicativos de mídia social que não estão enfrentando problemas semelhantes. Alguns inclusive comemoram a ausência temporária do Facebook.

Os críticos têm ainda mais razões para atirar contra o caminho de Zuckerberg, uma vez que ele perdeu bilhões desde que seus aplicativos começaram a apresentar problemas, de acordo com o rastreamento em tempo real da Forbes.

A lista da Forbes de “vencedores e perdedores do dia” monitora desde o fechamento de negócios do dia anterior, o que significa que as perdas massivas de Zuckerberg começaram a ocorrer a medida em que os clientes começaram a ter problemas técnicos.

Outros líderes da Big Tech, no entanto, também tiveram perdas recentes, de acordo com os dados, com Jeff Bezos da Amazon e Bill Gates da Microsoft ambos vendo bilhões serem perdidos, embora ainda relativamente menores à sombra dos US$ 6,7 bilhões de Zuckerberg (a partir dessa redação). Essa perda põe Zuckerberg em sexto na lista de bilionários da Forbes. Elon Musk senta no topo.

As ações do Facebook caíram vários pontos percentuais na esteira não apenas das dificuldades técnicas, mas também de uma entrevista ao “60 Minutes” com um denunciante da empresa que foi ao ar na noite de domingo.

A cientista de dados Frances Haugen se apresentou como a denunciante por trás de um relatório recente alegando que a empresa está ciente dos efeitos negativos que seus serviços podem ter sobre os usuários, e suas medidas de censura têm sido usadas para aumentar apenas o lucro, em vez de combater a desinformação, como declara a empresa.

Haugen comparecerá diante ao congresso americano nesta semana para uma audiência chamada “Protegendo as crianças online”, que se concentrará nos supostos efeitos negativos dos algoritmos do Facebook sobre jovens.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui