Brasil termina em 29º nas duas primeiras baterias do bobsled em Beijing 2022

Edson Bindilatti e Edson Martins tiveram um tempo de 2min02s47, 4s09 atrás dos alemães, primeiros colocados. Disputa segue amanhã.

262

No início de sua quinta participação no bobsled em Jogos Olímpicos de Inverno, o Brasil terminou na 29º colocação na dupla masculina em Beijing 2022 após duas baterias, realizadas nesta segunda-feira, 14 de fevereiro, no Centro de Esportes de Pista, em Yanqing.

A dupla formada pelo piloto Edson Bindilatti e por Edson Martins acabou com um tempo de 2min02s47 somando as duas descidas.

- Publicidade Patrocinada -

No geral, a liderança é dos alemães Francesco Friedrich, piloto, e Thorsten Margis. Eles lideram com um tempo de 1min58s38 – o menor tempo é o melhor classificado.

Friedrich venceu os eventos de dupla e quádruplo em PyeongChang 2018 e é sete vezes campeão mundial nas duplas, incluindo o atual título.

Primeira bateria é melhor para brasileiros

Edson Bindillati, e Edson Martins terminaram a primeira descida em 1min01s11 – os alemães 59s02. Eles ficaram na 29ª colocação em 30 trenós.

Na bateria seguinte, o tempo dos brasileiros foi de 1min01s36, contra 59s36 dos alemães. Ao final, eles permaneceram em 29º lugar.

“Claro que eu esperava um resultado melhor em termos de tempo, mas sabemos o quanto é difícil. Tive alguns erros bobos no começo da pista na primeira descida. Na segunda, consegui corrigir, mas dei bobeira na saída da curva 13. E aqui é uma pista que qualquer erro, você perde muita velocidade. É um ótimo aprendizado para gente ficar com a pista memorizada para amanhã e, principalmente, para o 4-man”, disse Bindilatti em declarações divulgadas pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB).

Baterias finais acontecem amanhã

As duas últimas baterias do bobsled serão disputadas amanhã, dia 15, às 20h15 e 21h50 locais (7h15 e 8h50 de Brasília).

O objetivo do Brasil é ao menos garantir lugar entre os 20 melhores tempos na soma das três baterias, o que lhe permitirá correr a quarta e última descida.

“A largada tem sido essencial nessa pista. Todos os times que estão largando rápido, estão conseguindo ter bons tempos no final. Então, amanhã é arrebentar nesse push e depois confiar na nossa pilotagem,” disse Edson Martins, que apontou um tempo de 5.1 como bom para o começo da terceira descida.

Contando com Bindilatti, a melhor participação do Brasil na modalidade em Jogos foi em PyeongChang 2018, com o 27º lugar no 2-man e o 23º no 4-man (quarteto).

“A gente se esforçou bastante para qualificar o 2-man porque, como não tivemos a oportunidade de vir no evento-teste, sabíamos que seriam só dois treinos livre e depois os três oficiais. É muito pouco para conhecer uma pista nova. Ainda mais com os adversários já tendo competido aqui. Mas encaramos mesmo como uma preparação para o 4-man, em que nós somos bem competitivos,” completou Bindilatti em informações divulgadas pelo site oficial do COB.

- Publicidade Patrocinada -

留言 DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui