China e a mídia no Brasil: Um diálogo muito dependente do jornalismo norte-americano e europeu

311
- 广告 Publicidade -

Brasil e China são geográfica e culturalmente distantes, e ainda que as relações comerciais e os investimentos tenham crescido, compartilham muito pouco por meio da mídia. A crise do Coronavírus que já matou mais de uma centena apenas em 2020 na China fez o país asiático ser centro das atenções no mundo inteiro, incluindo o Brasil.

Ocorre que desde 2015 não temos qualquer correspondente fixo de grandes veículos nacionais – e nem de pequenos – no país asiático. Uma lástima. Em um artigo que escrevi em 2017 com foco a partir de 2007 para explicitar a falta de informação em primeira mão por brasileiros explicito uma situação que pouco mudou. De 2017 a 2019, alguns veículos passaram a contar com as colaborações da jornalista Luisa Duarte, direto de Hong Kong, mas ela também já deixou a região. Hoje, a China está totalmente a descoberto.

- Publicidade Patrocinada -

Confira na íntegra o texto de 2017, em espanhol:

- Publicidade Patrocinada -

留言 DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui