China exorta que EUA parem de apoiar forças separatistas da “independência de Taiwan”

151
Esquadra multinacional liderada pelo EUA realiza provocação no Mar do Sul da China

Os Estados Unidos devem parar de apoiar as forças separatistas da “independência de Taiwan” e tomar ações concretas para manter a paz e a estabilidade através do Estreito de Taiwan, disse nesta segunda-feira Hua Chunying, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China.

A porta-voz fez os comentários ao responder sobre uma declaração relevante emitida pelo porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price.

Hua disse que Taiwan pertence à China e que os Estados Unidos não estão em posição de fazer comentários irresponsáveis. As observações relevantes do lado dos EUA violaram gravemente o princípio de Uma Só China e as estipulações dos três comunicados conjuntos China-EUA e enviaram um sinal extremamente equivocado e irresponsável.

Ela assinalou que há algum tempo, os Estados Unidos têm realizado ações negativas ao vender armas para Taiwan e fortalecer os laços oficiais e militares com Taiwan, incluindo o lançamento de um plano de venda de armas de US$ 750 milhões para Taiwan, o pouso de aeronave militar dos EUA na ilha e a navegação frequente de navios de guerra dos EUA através do Estreito de Taiwan. Essas ações provocativas prejudicaram as relações China-EUA e a paz e a estabilidade regionais. A China se opõe firmemente a elas e tem tomado as contramedidas necessárias.

Observando que o princípio de Uma Só China é a base política das relações China-EUA, Hua disse que sobre a questão de Taiwan, os Estados Unidos devem seguir o princípio de Uma Só China e as estipulações dos comunicados conjuntos China-EUA, em vez de algo inventado por eles de forma unilateral.

A “independência de Taiwan” não levará a lugar nenhum, disse a porta-voz chinesa, acrescentando que a China tomará todas as medidas necessárias para esmagar resolutamente todas as tentativas da “independência de Taiwan” e que a China tem firme determinação e intenção de salvaguardar sua soberania nacional e integridade territorial.

“Os Estados Unidos devem corrigir seus erros, cumprir seriamente o princípio de Uma Só China e as estipulações dos três comunicados conjuntos China-EUA, lidar de forma prudente e apropriada com os assuntos relacionados a Taiwan, parar de apoiar e encorajar as forças separatistas da ‘independência de Taiwan’, e tomar medidas concretas para salvaguardar, em vez de prejudicar, a paz e a estabilidade através do Estreito de Taiwan”, salientou Hua.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui