China pede que os Estados Unidos ajam com “responsabilidade” no espaço

À ONU, China relatou ter mudado rota de sua estação espacial para evitar colidir com satélites da empresa de Elon Musk

142

O Ministério das Relações Exteriores chinês disse, nesta terça-feira (28), que os Estados Unidos ignoraram as obrigações decorrentes dos tratados espaciais, expondo os astronautas a perigos.

Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, disse que a China pede aos Estados Unidos para que ajam com responsabilidade.

Cidadãos chineses atacaram online as ambições espaciais do fundador da Tesla, Elon Musk, na segunda-feira (27), depois que a China se queixou de que sua estação espacial foi forçada a tomar medidas evasivas para evitar colidir com satélites lançados pelo programa Starlink, de Musk.

Os satélites da Starlink Internet Services, uma divisão da empresa aeroespacial Musk’s SpaceX, tiveram dois “encontros próximos” com a estação espacial chinesa em 1º de julho e 21 de outubro, de acordo com um documento apresentado pela China no início deste mês à agência espacial da ONU.

“Por razões de segurança, a Estação Espacial da China implementou o controle preventivo de colisões”, disse a China em um documento publicado no site do Escritório das Nações Unidas para Assuntos Espaciais Externos.

As reclamações não foram verificadas independentemente. A SpaceX não respondeu imediatamente a um pedido de comentários.

Com quase 30.000 satélites e outros destroços que se acredita estarem orbitando o planeta, os cientistas pediram aos governos que compartilhassem dados para reduzir o risco de colisões espaciais catastróficas.

Só a SpaceX implantou quase 1.900 satélites para servir sua rede de banda larga Starlink – e já está planejando mais.

A agência espacial norte-americana NASA foi forçada a cancelar abruptamente um passeio espacial no final de novembro, citando os riscos apresentados pelos detritos espaciais. Musk tuitou em resposta, dizendo que algumas órbitas do satélite Starlink tinham sido ajustadas para reduzir a possibilidade de colisões.

A China começou a construir a estação espacial em abril com o lançamento de Tianhe, o maior de seus três módulos. Espera-se que a estação seja concluída no final de 2022, após quatro missões tripuladas.

Musk tornou-se uma figura bem conhecida na China, embora o negócio de veículos elétricos da Tesla tenha passado por um escrutínio crescente dos reguladores, especialmente depois que um cliente subiu em cima de um carro da Tesla no salão de automóveis de Xangai, em abril, para protestar contra o mal atendimento ao cliente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui