China pode elevar preço de energia industrial para aliviar crise

Aumento das tarifas em vários segmentos pode vir na forma de taxas fixas mais altas ou atreladas ao preço do carvão

149

O governo chinês estuda elevar os preços da energia para consumidores industriais como forma de aliviar a crescente crise de oferta.

O aumento das tarifas em vários segmentos pode vir na forma de taxas fixas mais altas ou atreladas ao preço do carvão, segundo pessoas a par do plano.

O governo também discutiu subir as tarifas para usuários residenciais se o aumento para indústrias não for suficiente para resolver a crise, disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas. Os planos ainda podem ser alterados e estão sujeitos à aprovação final, segundo as fontes.

Na quarta-feira, a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma disse que permitirá que os preços da energia reflitam razoavelmente mudanças na demanda, oferta e custos e que o país aumentará as importações de carvão “moderadamente” e incentivará usinas a elevarem os estoques antes do inverno.

A segunda maior economia do mundo enfrenta cortes de energia que ameaçam desacelerar o crescimento e prejudicar ainda mais as cadeias de suprimentos globais. Com os preços recordes do carvão, muitas geradoras de energia têm perdido dinheiro com as tarifas atuais de eletricidade, impedindo que algumas aumentem a geração para atender à demanda.

A maior parte da energia na China é vendida a tarifas regulamentadas, que as províncias podem aumentar ou diminuir em até 10%. Várias províncias já aplicaram o máximo de 10%, por isso outro reajuste teria que superar esse nível para surtir efeito.

Preços mais altos de energia podem estimular a geração de mais eletricidade, ao mesmo tempo que incentivam usuários a reduzirem o consumo para diminuir as despesas.

Ações de usinas chinesas de energia subiram com a notícia. A Huadian Power International avançou 5% depois de cair 1,7%. A ação da Datang International Power Generation ganhou 3,5%, após registrar queda em porcentagem semelhante anteriormente.

No entanto, o que agrava a crise de energia da China é a falta de carvão, e se geradoras queimarem mais o combustível aumentariam o problema como também as emissões de gases de efeito estufa. Além disso, contas de energia mais altas para o setor de manufatura poderiam elevar as pressões inflacionárias no país.

A Comissão Provincial de Desenvolvimento e Reforma de Hunan planeja lançar um programa de teste em outubro que vincularia os preços da energia industrial ao mercado de carvão, segundo artigo do China Business News.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui