China rechaça pressão dos EUA por sanções contra a Rússia e diz que está do lado certo da História

Wang Yi, ministro das Relações Exteriores da China, reiterou que a posição chinesa é por construir uma nova arquitetura de segurança na Europa

192

A China continua fiel à sua postura de “manter a paz e se opor à guerra” na política exterior, razão pela qual promove o diálogo entre a Rússia e a Ucrânia para cessar as hostilidades o mais cedo possível, disse no sábado (19) Wang Yi, ministro das Relações Exteriores chinês.

Segundo Wang Yi, que falou à emissora CGTN, a posição da China, já expressa por Xi Jinping, é a necessidade de evitar vítimas civis com um piorar da situação humanitária, e o objetivo de longo prazo é buscar uma solução de paz duradoura no continente europeu deixando atrás a mentalidade de Guerra Fria, abandonando um confronto entre blocos diferentes e construindo uma arquitetura de segurança equilibrada.

- Publicidade Patrocinada -

“Nunca aceitaremos nenhuma coação ou pressão externas, e também nos oporemos a quaisquer acusações ou suspeitas que têm a China como alvo”, sublinhou o ministro chinês, reafirmando que a posição de Pequim é objetiva, justa e responde às aspirações da maioria dos países.

“O tempo dirá que a posição da China está do lado correto da história”, concluiu Wang Yi.

Na sexta-feira (18) Xi Jinping e Joe Biden, líderes da China e dos EUA, respectivamente, falaram por videochamada, com o último advertindo Pequim caso dê “apoio militar” a Moscou. Já no sábado (19) Le Yecheng, vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, se pronunciou contra as sanções anti-russas, afirmando que elas não resolvem os problemas.

- Publicidade Patrocinada -

留言 DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui