China vê contínuo crescimento nas importações e exportações durante primeiros três trimestres de 2021

O comércio exterior da China de bens registrou um valor total de 28,33 trilhões de yuans (US$ 4,4 trilhões) durante os primeiros três trimestres de 2021.

152

O comércio exterior da China de bens registrou um valor total de 28,33 trilhões de yuans (US$ 4,4 trilhões) durante os primeiros três trimestres de 2021, um aumento anual de 22,7% e 23,4% em comparação com o mesmo período de 2019, de acordo com estatísticas da Administração Geral das Alfândegas da China (GAC, na sigla em inglês).

As exportações e importações de bens do país asiático totalizaram 15,55 trilhões de yuans e 12,78 trilhões de yuans, respectivamente, nos primeiros nove meses de 2021, testemunhando um aumento de 24,5% e 22%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2019.

“As importações e exportações da China cresceram em um ritmo razoavelmente rápido durante os primeiros três trimestres de 2021, mostrando forte resiliência e melhoria constante na qualidade”, disse Li Kuiwen, porta-voz da GAC e chefe do Departamento de Estatística e Análise da GAC.

De acordo com Li, o volume das exportações e importações da China cresceu a cada trimestre deste ano cifras equivalentes a 8,51 trilhões de yuans, 9,59 trilhões de yuans e 10,23 trilhões de yuans no primeiro, segundo e terceiro trimestre, respectivamente.

O país asiático experimentou um crescimento relativamente rápido nos principais indicadores econômicos, incluindo o valor agregado das empresas industriais com a receita anual de mais de 20 milhões de yuans, o total das vendas no varejo de bens de consumo e investimento em ativos fixos, durante os primeiros oito meses deste ano.

Com a recuperação da economia e do comércio globais, as exportações da China se beneficiaram da crescente demanda do mercado global. A Organização Mundial do Comércio (OMC) previu recentemente que o volume do comércio global de mercadorias aumentaria 10,8% em 2021.

De janeiro a setembro, as exportações chinesas para os EUA, União Europeia (UE) e África aumentaram mais de 20%, enquanto as exportações da China para a América Latina aumentaram mais de 40%.

Esses números provam que as políticas da China para estabilizar o crescimento do comércio exterior continuam a ser benéficas. Desde o início deste ano, o país introduziu uma série de políticas e medidas para manter um crescimento constante do comércio exterior.

O país asiático reforçou a confiança das empresas no mercado chinês, acelerando o desenvolvimento de novas formas e modelos de comércio exterior, aprofundando ainda mais a reforma para facilitar o comércio transfronteiriço, otimizando o ambiente de negócios nos portos e promovendo reformas e inovações no comércio e facilitação de investimento em zonas de livre comércio (FTZs, na sigla em inglês).

A China contribuiu para o aumento da demanda agregada global com um mercado interno robusto. Durante os primeiros nove meses do ano, as importações da China aumentaram anualmente 22,6%, atingindo um recorde de 12,78 trilhões de yuans.

O valor total dos bens de consumo importados da China aumentou 14,7%, para 1,29 trilhão de yuans durante o período, respondendo por 10,1% do valor total das importações do país.

O país importou 265,04 bilhões de yuans em veículos de passageiros durante os três primeiros trimestres deste ano, um aumento de 31,5% em relação ao ano anterior.

O crescimento trimestral das importações e exportações do país asiático desacelerou, com a taxa de crescimento do comércio exterior em setembro sendo 3,5% inferior à de agosto.

Os fundamentos econômicos da China que irão sustentar o crescimento de longo prazo permanecem inalterados, de acordo com Li, que acredita que a China pode alcançar um crescimento relativamente rápido em seu comércio exterior neste ano, apesar de ainda estar enfrentando muitos fatores instáveis e incertos.

“As empresas de comércio exterior têm demonstrado maior vitalidade e novos avanços foram realizados no desenvolvimento de alta qualidade do comércio exterior”, disse Li.

Um total de 526,7 mil empresas na China importaram ou exportaram bens durante os três primeiros trimestres deste ano, 34 mil a mais do que no mesmo período de 2020, de acordo com Li, que divulgou que as importações e exportações de empresas privadas aumentaram anualmente 28,5% para 13,65 trilhões de yuans, representando 48,2% do valor total do comércio exterior do país durante o período.

A China permaneceu como a maior nação comercial de bens no primeiro semestre do ano. As participações no mercado global do comércio exterior total da China, exportações e importações foram de 13,2%, 14,5% e 12% durante o primeiro semestre do ano, um aumento de 0,8%, 0,9 % e 0,8%, em relação ao mesmo período do ano passado.

As plataformas de abertura de alto padrão na China têm desempenhado um papel cada vez mais importante na condução do comércio exterior.

Nos primeiros nove meses do ano, as importações e exportações totais de áreas abrangentes com alfândega na China cresceram 26,3%, para 4,08 trilhões de yuans, registrando uma taxa de crescimento 3,6% maior do que a taxa de crescimento geral do comércio exterior do país.

Enquanto isso, as FTZs em toda a China registraram 4,67 trilhões de yuans em importações e exportações, um aumento anual de 27,6%, enquanto o valor total gasto em bens na província de Hainan, no sul da China, sob a política de isenção de impostos off-shore da província aumentou 120,8% para 35,54 bilhões de yuans.

A China viu um grande desenvolvimento em novas formas e modelos de negócios nos primeiros três trimestres deste ano, com as importações e exportações no comércio eletrônico internacional crescendo 20,1% e as exportações através do comércio de aquisição de mercado, um esquema de facilitação do comércio projetado para pequenas empresas, aumentando anualmente em 37,7% durante o período.

As exportações do país têm desfrutado de forças motrizes suficientes para o crescimento. Durante os três primeiros trimestres do ano, as exportações de bens intermediários aumentaram 29,2%, contribuindo em 13,2% para o crescimento das exportações da China e efetivamente apoiando o bom funcionamento das cadeias industriais e de abastecimento globais.

Durante o mesmo período, as exportações de produtos mecânicos e elétricos da China cresceram anualmente 23%, com a proporção da categoria nas exportações totais do país aumentando 0,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. As exportações de alguns produtos intensivos mantiveram um ritmo de crescimento relativamente rápido.

De acordo com Li, o comércio da China com seus principais parceiros comerciais continuou a crescer nos primeiros nove meses do ano. A Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) continuou sendo seu maior parceiro comercial.

Nos primeiros três trimestres do ano, o comércio exterior da China com a ASEAN cresceu anualmente 21,1% para 4,08 trilhões de yuans; as importações e exportações do país com a UE, os EUA, Japão e Coreia do Sul totalizaram 3,88 trilhões de yuans, 3,52 trilhões de yuans, 1,78 trilhão de yuans e 1,7 trilhão de yuans, respectivamente.O comércio do país com países ao longo das rotas do Cinturão e Rota e países participantes da Parceria Econômica Abrangente Regional (RCEP, na sigla em inglês) cresceu 23,4% e 19,3%, respectivamente.

As regiões central e ocidental da China testemunharam um crescimento mais rápido no comércio exterior do que o desempenho geral do comércio exterior do país asiático desde o início do ano.

As importações e exportações dessas regiões atingiram 4,95 trilhões de yuans durante os primeiros nove meses de 2021, registrando um aumento de 27,2%, 4,5% a mais do que a taxa de crescimento do comércio exterior do país asiático durante o período. Enquanto isso, elas responderam por 17,5% do volume total de comércio exterior do país no período, uma alta de 0,6 % em relação ao ano anterior.

As províncias do centro da China, incluindo Henan e Hubei, registraram um aumento de mais de 30% no comércio exterior durante os três primeiros trimestres do ano.

Os trens de carga China-Europa têm ajudado efetivamente as regiões da China central e ocidental a explorar os mercados ao longo do Cinturão e Rota.

Dados divulgados pela China State Railway Group Co., Ltd. indicam que durante os primeiros nove meses de 2021, os trens de carga China-Europa fizeram 11.300 viagens e transportaram cerca de 1,09 milhão de contêineres de unidades equivalentes a vinte pés (TEU), com o números representando um aumento de 29% e 37%, respectivamente, em relação ao mesmo período do ano passado.

De janeiro a setembro, o comércio exterior entre o centro e o oeste da China e os países ao longo das rotas do Cinturão e Rota totalizou 1,56 trilhão de yuans, representando 18,8% do total das importações e exportações da China com esses países durante o período.

Nesse ínterim, as importações e exportações entre as regiões central e ocidental da China e países ao longo do Cinturão e Rota transportadas por ferrovias aumentaram 21,8%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui