Cinturão e Rota: oportunidade para a prosperidade comum

Face à pandemia, a China e os países incluídos na iniciativa estreitaram o vínculo do destino comum e construíram em conjunto uma "Rota da Seda Saudável", garantido a coesão na luta contra o flagelo.

70
Ferrovia Addis Abeba–Djibuti, construída e operada em conjunto por empresas chinesas. Esta ferrovia tem 752,7 quilômetros de comprimento e é a primeira ferrovia eletrificada moderna na África Oriental.

“A construção conjunta do ‘Cinturão e Rota’, permitiu o melhoramento do nível de abertura em várias regiões da China, a criação de novas áreas de abertura para o exterior, promoção da abertura institucional, estabelecimento de um amplo círculo de amigos e encontradas novas formas de promover o desenvolvimento comum. “Em 19 de novembro, o secretário-geral Xi Jinping participou do terceiro simpósio “Cinturão e Rota” em Beijing, onde proferiu um discurso importante, sumariando sistematicamente as conquistas importantes e o esclarecimento da experiência da construção conjunta do “Cinturão e Rota”, reiterando a firme determinação em promover a construção de uma comunidade com um futuro compartilhado para a humanidade.

No outono de 2013, seguindo a tendência dos tempos de paz, desenvolvimento, cooperação e benefício ganha-ganha, o presidente Xi Jinping começou por apresentar a grande iniciativa de construir em conjunto o “Cinturão e Rota”. Por mais de 8 anos, a China aderiu ao princípio da consulta mútua, construção conjunta e benefícios compartilhados, tomando a infraestrutura de “conectividade rígida” como uma direção importante a seguir. Hoje, a iniciativa tornou-se um produto público internacional popular e a maior plataforma de cooperação. Em novembro de 2021, a China assinou mais de 200 documentos de cooperação para a construção com 140 países e 32 organizações internacionais; assinou documentos de cooperação de mercado com 14 países, incluindo o Japão e a Itália e desenvolveu conceitos de cooperação relevantes incluídos em importantes mecanismos internacionais, como as Nações Unidas, G20, Cooperação Econômica da Ásia-Pacífico e a Organização de Cooperação de Shanghai. O “Círculo de Amigos” do “Cinturão e Rota” está ficando cada vez maior, a qualidade da cooperação é cada vez mais alta e as perspetivas de desenvolvimento cada vez mais auspiciosas. O secretário-geral da ONU, António Guterres, destacou que todos os países devem aproveitar as oportunidades proporcionadas pela cooperação do “Cinturão e Rota” para obter benefícios mútuos e resultados em que todos saem a ganhar.

Face à pandemia, a China e os países incluídos na iniciativa estreitaram o vínculo do destino comum e construíram em conjunto uma “Rota da Seda Saudável”, garantido a coesão na luta contra o flagelo.

Face ao dilema de continuar a promover o desenvolvimento de alta qualidade da iniciativa do“Cinturão e Rota”, a resposta da China é firme e categórica: “Devemos estabelecer uma base sólida para o desenvolvimento”, “Devemos expandir continuamente novas áreas de cooperação”, “precisamos fornecer melhores serviços para construir um novo padrão de desenvolvimento” e “Precisamos nos fortalecer de forma abrangente”. A prevenção e o controle de riscos devem fortalecer o planejamento e a coordenação gerais”. A China, embarcando na nova jornada de construção de um país socialista moderno, continuará aderindo ao princípio de ampla consulta, contribuição conjunta e benefícios compartilhados e a aprofundar a confiança política mútua, a interconexão do comércio e finanças e o intercâmbio cultural e interpessoal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui