Crise energética pode destruir unidade europeia antes do inverno, diz chefe da AIE

A disputa por recursos energéticos entre os países da União Europeia (UE) neste inverno pode destruir a unidade europeia e desencadear distúrbios sociais, afirmou o diretor-executivo da Agência Internacional de Energia (AIE), Fatih Birol.

511
© Sputnik / Igor Zarembo
- 广告 Publicidade -

“As implicações serão muito ruins para a energia, muito ruins para a economia, mas extremamente ruins politicamente”, disse Birol, conforme publicado pelo jornal Financial Times, nesta sexta-feira (23).

Segundo o jornal, a crescente crise energética na Europa levanta preocupações de que alguns países firmem acordos com terceiros para importar combustíveis russos ou restrinjam a exportação de eletricidade a seus vizinhos. Nesse caso, alerta o chefe da AIE, os europeus deixarão de cooperar entre si e atuarão por conta própria.

- Publicidade Patrocinada -

“Se a Europa falhar neste teste, pode ir além das implicações energéticas”, acrescentou Birol.

Rafael Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), durante visita à usina nuclear de Zaporozhie, perto de Energodar, na Ucrânia, em 1º de setembro de 2022. © Sputnik / Konstantin Mikhalchevsky

Para ele, mesmo se o inverno se apresentar menos frio do que o esperado, a Europa terá que enfrentar outras consequências nos próximos meses, incluindo a desaceleração econômica e danos significativos nos orçamentos das famílias.

O início do conflito na Ucrânia, em fevereiro, exacerbou a crise energética que se desenhava na Europa no ano passado. Interrupções nas operações logísticas e financeiras devido às sanções ocidentais contra a Rússia minaram as cadeias de suprimentos e provocaram aumento nos preços da energia em todo o mundo.

- Publicidade Patrocinada -

留言 DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui