Cúpula das Américas sediada pelos EUA tem ausência de vários líderes regionais

398
- 广告 Publicidade -

A cerimônia inaugural da Cúpula das Américas, sediada pelos EUA, teve lugar na quarta-feira, tendo sido marcada pela notável ausência de vários líderes regionais importantes.

A cerimônia oficial de abertura da cúpula, de quarta a sexta-feira, contou com a presença do presidente dos EUA, Joe Biden, e da primeira-dama, Jill Biden.

- Publicidade Patrocinada -

O presidente lidera a cúpula, que está sendo sediada pelos Estados Unidos pela primeira vez desde o evento inaugural, em 1994, com líderes da América do Norte, do Sul e Central, além do Caribe. Espera-se que o grupo discuta questões globais, incluindo formas de impulsionar o crescimento econômico, fazer frente às mudanças climáticas e à pandemia.

No entanto, a cúpula foi ofuscada pela ausência de vários líderes latino-americanos, incluindo os do México, Guatemala, Honduras e El Salvador, que boicotaram a reunião, e os de Cuba, Venezuela e Nicarágua, que foram excluídos por Washington. Enquanto isso, o presidente do Uruguai disse que havia contraído Covid-19 e o líder boliviano também se recusou a comparecer.

O presidente mexicano Andrés Manuel López Obrador, indiscutivelmente o líder latino-americano mais importante na lista de convidados da cúpula, anunciou na manhã de segunda-feira que ficaria em casa.

“Não pode haver uma Cúpula das Américas se todos os países das Américas não puderem participar”, disse López Obrador em sua coletiva de imprensa diária na Cidade do México, capital do México. “Isso é dar continuidade às velhas políticas intervencionistas, sem respeito pelas nações e seus povos.”

Funcionários do governo Biden tentaram minimizar a ausência de López Obrador. A secretária de imprensa da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, insistiu que a delegação mexicana, mesmo sem seu presidente, faria “contribuições significativas” para a cúpula e seus objetivos. No entanto, vários especialistas consideram isso um desastre e uma vergonha para a diplomacia americana.

A CNN informou na quarta-feira que a ausência dessas personalidades é notável “já que os Estados Unidos trabalharam para cultivar esses líderes como parceiros na imigração, uma questão que paira como uma responsabilidade política para Biden”.

“Oito nações não enviaram um oficial de nível de liderança para o evento mais importante que realizamos na região em décadas. Isso diz muito sobre o quão mal gerimos as relações com nossos vizinhos…”, twittou na quarta-feira Brett Bruen, que serviu na Administração de Barack Obama como diretor de engajamento global.

Também na quarta-feira, centenas de pessoas de todo o continente americano se reuniram no centro de Los Angeles para realizar performances de arte, música, palestras, debates, oficinas e painéis de discussão, a fim de ofuscar a nona Cúpula das Américas.

- Publicidade Patrocinada -

留言 DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui