Encontro sobre projetos em energia verde e desenvolvimento de baixo carbono reúne autoridades

O grupo CGN hoje é referência em energia limpa e renovável, sendo o 2º maior do Brasil em fornecimento de energia solar, e o 6º maior de energia eólica.

154
Projeto da CGN-B que gera 366 milhões de kWh por ano em energia eólica na Lagoa do Bairro (Piauí) foi concluída em tempo recorde.

Ocorreu na manhã desta quinta-feira (25) uma celebração pelo início das operações da expansão da rede elétrica de Lagoa do Bairro (Piauí). Na ocasião, tivemos também a formalização do início das atividades em Tanque Novo, na Bahia.

Organizado pela CGN Brasil (China General Nuclear Power Group), o evento foi realizado em Curitiba (Paraná), e também em um painel online. Figuras importantes da relação Brasil-China, dentre empresários e autoridades chinesas e brasileiras, também marcaram presença.

Com a condução da srª Silvia da Rocha, a cerimônia teve início às 9h00 e foi dividida em quatro partes. Na introdução, o presidente e CEO da CGN Brasil, Zhang Songlin, falou sobre as operações do grupo no Brasil, que hoje tem duas ações principais: Lagoa do Bairro, no Piauí, e Tanque Novo, na Bahia.

Com a vitória na licitação em 18 de outubro de 2019, o projeto da Lagoa do Bairro enfrentou dificuldades na execução do projeto. Apesar da pandemia da COVID-19, acidentes no transporte dos equipamentos para a construção da usina e até bloqueio de estrada por populares, o projeto da construção da usina de energia eólica foi entregue em tempo recorde no Brasil.

Os funcionários da CGN-B, e dos fornecedores, junto à mediação do Governo do Estado do Piauí, na figura de seu governador Wellington Dias (PT), conseguiram contornar todos os problemas e, respeitando as normas de segurança sanitária, entregar em um ano as 18 turbinas eólicas e uma produção anual de 366 milhões de kWh. Segundo o presidente do grupo, esse resultado não seria possível sem o espírito cooperativo dos brasileiros.

Felipe Nobre, diretor da HABB e representante dos fornecedores, disse que a CGN-B esteve sempre solícita e disposta a resolver, de prontidão, os problemas que surgiam durante os trabalhos.

Segundo a srª Yan Yuqing, Consulesa-Geral da China em Recife, a construção do projeto beneficia o povo brasileiro, que vê uma cooperação em Desenvolvimento Verde de Baixo Carbono dentro do quadro geral das Relações Brasil-China e da Iniciativa Cinturão e Rota (BRI, na sigla em inglês), conhecida como Nova Rota da Seda. A consulesa também chamou atenção para o fato de que a região nordeste aplica cerca de 80% da energia eólica do país, e 60% da energia solar.

Na segunda parte do evento, o sr. Shi Weiqi, presidente do CGNEI (CGN Energy International Holdings) declarou oficialmente o início dos trabalhos em torno do novo projeto da CGN-B, em Tanque Novo (Bahia). Essa nova operação do grupo prevê a geração anual de 720 kWh em energia limpa e renovável, além do retorno para o local em matéria de emprego e renda. Serão cerca de 1000 empregos estáveis durante a construção e operação da usina de energia eólica.

Foram assinados termos de entendimento entre as partes chinesas e brasileiras.

A Consulesa-Geral da China no Rio de Janeiro, sr.ª Tian Min, destacou que o desenvolvimento de baixo carbono é um dos principais objetivos da China. Em referência ao presidente Xi Jinping, a Consulesa falou da importância em promover desenvolvimento, com preservação do meio-ambiente.

Tanque Novo será o 3º projeto em energia eólica da região da Bahia, com alta capacidade de geração energética, empregos e trazendo desenvolvimento regional. Tian Min ainda destacou os esforços em conjunto com o Governador da Bahia, sr. Rui Costa (PT), sobretudo nas áreas de energia, transporte, portos e inteligência artificial. Em um evento em setembro, no qual Rui Costa foi convidado pelo consulado no Rio a participar, o governador expressou seu interesse em estreitar laços com a China nas áreas de saúde inteligente e segurança pública.

Se aproximando ao final do evento, a srª Chen Peijie, Consulesa-geral da China em São Paulo, disse que a China e o Brasil tem chegado a importantes consensos. Esses projetos em desenvolvimento sustentável no Brasil, apesar de ainda serem pequenos, são dignos de nota e destaque que pode levar as relações entre Brasil e China a um novo patamar, seguindo as tendências de desenvolvimento verde de baixa emissão de carbono.

O embaixador da China no Brasil, sr. Yang Wanming, parabenizou a todos pelo excelente trabalho, que superou todas as expectativas. O embaixador lembrou ainda que o grupo CGN é o segundo maior da China no setor de energia limpa, e no Brasil já se trata da 2ª maior empresa em fornecimento de energia solar, e a sexta maior em energia eólica.

Encontro foi realizado tanto presencialmente quanto online

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui