Estação espacial da China realizará primeiro voo combinado com seis naves espaciais em 2022, diz Livro Azul

A China irá realizar três estreias em sua missão na estação especial em mais um ano aeroespacial ambicioso, com mais de 50 lançamentos programados.

244

A China irá realizar três estreias em sua missão na estação especial em mais um ano aeroespacial ambicioso, com mais de 50 lançamentos programados. O país realizará o primeiro voo combinado de seis naves espaciais, a primeira estadia de seis meses de astronautas, e a primeira vez que duas tripulações permanecem em órbita simultaneamente, anunciou a Academia da Corporação de Ciência e Tecnologia Aeroespacial da China (CASC, na sigla inglesa) no Livro Azul lançado na quarta-feira (9).

“Um total de seis missões tripuladas estão programadas para completar totalmente uma estação espacial com a cabine central de Tianhe como centro de controle, e os módulos experimentais Wentian e Mengtian como as principais plataformas experimentais que são utilizadas pela tripulação durante todo o ano”, segundo o livro azul.

- Publicidade Patrocinada -

“Em 2022, em particular, a CASC revelou que lançará duas missões tripuladas com foguetes Longa Marcha-2F. O veículo Longa Marcha-2F Y14, que permaneceu em status de resgate de emergência na plataforma de lançamento como backup para o atual Shenzhou-13, está em boas condições de operação. O veículo Y15 está programado para lançar a missão espacial tripulada Shenzhou-15 no segundo semestre deste ano”, disse o designer-chefe do foguete, Liu Feng.

Bo Linhou, vice-designer-chefe do sistema da estação espacial, disse que este ano as espaçonaves tripuladas Shenzhou-14 e -15 vão atracar na estação espacial simultaneamente pela primeira vez, formando uma combinação de seis módulos que permite que seis astronautas se desloquem em missão na órbita.

A estação espacial enfrentará novos desafios, como transposição de módulos, trabalho combinado de braços robóticos grandes e pequenos e saída de carga que exigem uma rede de controle excepcionalmente complexa.

“A missão da estação espacial inclui três estágios: estágio de verificação tecnológica chave, estágio de construção e estágio de operação. Atualmente, ainda está em seu primeiro estágio até que a tripulação do Shenzhou-13 retorne com segurança de sua estadia de seis meses, para então entrar na segunda estadia”, observou Bo.

Durante a fase de construção, a nave espacial de carga Tianzhou-4, a nave tripulada Shenzhou-14, dois módulos experimentais, a nave espacial de carga Tianzhou-5 e a nave tripulada Shenzhou-15 serão lançadas em sequência.

Após a conclusão, a estação espacial formará uma estrutura em forma de T com uma cabine de mais de 110 metros cúbicos, permitindo uma estadia de longa duração para três tripulantes e estadias de curta duração para seis. Depois de concluir os testes funcionais e de desempenho em órbita, a estação espacial passará para a fase operacional.

Vale a pena notar que a espaçonave tripulada Shenzhou-13 retornará à Terra este ano adotando um programa de retorno rápido que nunca foi usado antes. Diz-se que o programa melhorará o conforto e a eficiência dos astronautas.

Espera-se que a estação espacial da China seja concluída em 2022 com um laboratório espacial a bordo e uma tripulação de astronautas em missões de longo prazo para realizar experimentos científicos e manutenção em larga escala.

Outro destaque deste ano inclui o voo inaugural do Longa Marcha-6A, um foguete transportador de médio porte que consiste em um propulsor de núcleo com propulsão líquida de 50 metros e quatro propulsores laterais de combustível sólido. Ele será encarregado de transportar satélites para várias órbitas, como órbitas síncronas com o sol, Terra baixa ou circulares intermediárias.

Os astrônomos podem colocar os olhos no foguete comercial Dragão Inteligente-3 da China, também estreando em 2022, que é capaz de colocar em órbita 20 satélites em um lançamento.

- Publicidade Patrocinada -

留言 DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui