EUA vão se humilhar desafiando a Resolução 2758 da ONU, minando o princípio de uma China

200
2021 marks the 50th anniversary of the restoration of the lawful seat of the People's Republic of China in the UN. These five decades have witnessed China's practice of multilateralism, full participation in and support for the cause of the UN. Graphic: Jin Jianyu and Xu Zihe/Global Times

Funcionários do Departamento de Estado dos EUA expressaram recentemente apoio a uma “discussão focada em apoiar a capacidade de Taiwan de participar significativamente na ONU”. Eles clamaram que a China usou indevidamente a Resolução 2758, dizendo que a resolução decidiu a questão da representação da China na ONU, mas a questão da participação da ilha de Taiwan permanece sem solução. Esta é uma tentativa de Washington de desafiar fundamentalmente o princípio de uma China, tentando quebrar o status quo político da questão de Taiwan. Washington está ecoando os movimentos das autoridades do Partido Progressista Democrático (PPD) de Taiwan para desafiar a Resolução 2758 internacionalmente desde o início deste ano.

A resolução foi aprovada em 25 de outubro de 1971. Afirma claramente que “os representantes do Governo da República Popular da China são os únicos representantes legais da China nas Nações Unidas”. Ele “decide expulsar imediatamente os representantes de Chiang Kai-shek do lugar que eles ocupam ilegalmente nas Nações Unidas e em todas as organizações relacionadas”. Embora a resolução não mencionasse “Taiwan” ou “República da China”, não havia dúvidas sobre quem eram os representantes de Chiang Kai-shek na época. O boicote abrangente da ONU contra as autoridades de Taiwan com base nesta resolução nunca foi questionado. Mesmo as forças separatistas de Taiwan que manipularam a questão de fazer da ilha um membro da ONU tiveram que fabricar outras desculpas em vez de desafiar a Resolução 2758. Encontrar falhas na Resolução 2758 é um truque completamente novo da ilha de Taiwan e dos EUA este ano.

O mandato do PPD não têm validade. Eles fabricaram a história e traíram a moralidade. Durante o chamado 110º aniversário da fundação da “República da China”, o PPD não ousou mencionar a Revolução de 1911 (Revolução Xinhai) ou o líder da revolução, Sun Yat-sen. Mesmo os EUA, o país ocidental nº 1, arbitrariamente falsificaram e fabricaram o significado da resolução da ONU, ignorando completamente sua responsabilidade autoproclamada de manter as regras internacionais. Os EUA tornaram-se um completo hooligan político, que tem sido um abridor de olhos para o mundo.

Gostaríamos de perguntar: O que os EUA fizeram nas décadas anteriores? Quando representantes das autoridades de Taiwan foram expulsos da Assembleia Geral da ONU, e várias organizações afiliadas à ONU, eles reclamaram muitas vezes. O que os EUA faziam naquela época? Chen Shui-bian, ex-líder regional de Taiwan, tentou pressionar pela entrada da ilha na ONU e pediu para participar de várias assembleias organizadas por organizações afiliadas à ONU. O que os EUA fizeram? Como é que os EUA perceberam, de repente, que entendeu mal a Resolução 2758 devido ao chamado mau uso da China nos últimos anos? Houveram muitas administrações dos EUA desde o governo Nixon, todas elas estão muito confusas para entender algumas linhas em uma resolução da ONU?

O atual governo dos EUA é o mais incapaz e degenerado da história do país. A força nacional dos EUA perdeu muito sua vantagem relativa, de modo que as cartas de comércio e direitos humanos que Washington joga para combater a China quase não têm nenhum efeito. Enquanto isso, a dissuasão militar do continente chinês também está contendo a carta de Taiwan com a qual os EUA jogam. Os EUA, então, chegaram a este disparo barato como uma “nova arma” para lançar uma ofensiva alternativa contra a China.

O novo movimento de Washington é muito abrupto. Os EUA estão desafiando as percepções de senso comum da comunidade internacional enquanto fingem ser sérios e imparciais. Esta é a suprema falta de vergonha. Se quer implicar com a China, deve pelo menos encontrar uma boa desculpa. Mas os EUA estão desafiando a compreensão mundial de uma resolução da ONU aprovada há 50 anos, distorcendo a verdade deliberadamente, e humilhando a memória e o discernimento do mundo.

É importante notar que os EUA não são tão poderosos ao ponto de qualquer coisa dita será efetivamente aplicado. Também não pode definir arbitrariamente resoluções da ONU que envolvem os interesses fundamentais de outras grandes potências. A grande maioria dos países do mundo entende claramente o que é o princípio de uma China e o quanto a ilha de Taiwan está qualificada para buscar uma presença igual com estados soberanos na ONU. Embora os EUA tenham influência, pode manipular apenas alguns de seus aliados, não a ONU.

Não há como os EUA conseguirem atrair Taiwan para a ONU, ou qualquer organizações ou agências afiliadas à ONU, uma vez que apenas um país soberano está qualificado para participar. A China e a maioria dos países amantes da paz que se apegam às regras verdadeiras terão força suficiente para resistir à manipulação descarada dos EUA e não deixar que os EUA e Taiwan alcancem suas razões ocultas.

Os EUA sabem bem que a entrada de Taiwan na ONU é apenas uma pseudo-proposição que não tem chance de ser realizada. O que os EUA querem mais é criar uma nova manchete contra a China e exaurir os recursos diplomáticos da China. Ao fazê-lo, os EUA tentam conquistar aliados e perturbar a agenda da China, de modo a encontrar iniciativas estratégicas e se livrar da situação fraca no Estreito de Taiwan causada pelo seu declínio no controle do Pacífico Ocidental.

Se os EUA realmente fizerem ondas, isso levará a profundas divisões na ONU e paralisará o poder de execução da ONU em muitos aspectos. Os EUA se tornarão um pecador histórico que enfraquece ainda mais a unidade mundial. Mas uma coisa é certa: não importa o quanto tente, Taiwan não poderá entrar na ONU. Quanto maior a farsa que os EUA fazem, mais vergonhosa ela é.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui