MRE da China no Conselho de Segurança da ONU: Atrasar a crise ucraniana não é do interesse de nenhuma das partes

O MRE da China advertiu que a crise na Ucrânia reflete o que está ocorrendo no mundo, e clamou pela cooperação entre os povos; Wang Yi defendeu a retomada do diálogo sem pré-condições

388
Ministro das Relações Exteriores da China, sr. Wang Yi, durante sessão do Conselho de Segurança da ONU em 22 de setembro de 2022 (foto: Divulgação / UN)
- 广告 Publicidade -

Na sequência da 77ª Assembleia Geral das Nações Unidas, teve início a sessão do Conselho de Segurança da ONU nesta quinta (22). Wang Yi, ministro das Relações Exteriores da China, demonstrou uma posição moderada e convocou as partes envolvidas diretamente no conflito ao diálogo.

Para o MRE chinês, a soberania, integridade territorial, as propostas e princípios da Carta das Nações Unidas, deveriam ser respeitadas, bem como as preocupações justas no que toca a questão da segurança, devem ser todas levadas em consideração.

- Publicidade Patrocinada -

Wang Yi considera que atrasar soluções para a crise não é de interesse nem da Ucrânia, nem da Rússia. Para buscar uma solução imediata do conflito, a China apresentou quatro propostas ao pleito, sendo elas:

  1. Se ater ao diálogo e negociação: “Principal prioridade para as partes é retomar o diálogo, sem pré-condições”.
  2. Trabalhar junto pela desescalada do conflito: as partes devem evitar aumentar as tensões e a comunidade internacional deve ajudar a criar condições para entendimento político mútuo. Quanto à segurança de instalações nucleares, não deve haver espaço para o que chamou de “tentativa e erro”: “acidentes e riscos devem ser prevenidos”.
  3. Facilitar a situação humanitária: É vital prevenir ataque contra civis, construções civis e minimizar casualidades civis. As investigações das violações das leis humanitárias internacionais devem ser objetivas, justas, baseadas em fatos, e não na “presunção de culpa”, e não devem ser politizadas. A comunidade internacional deve apoiar a agências humanitárias da ONU, apoiar neutralidade e continuar provendo assistência àqueles afetados na ucrânia e países vizinhos
  4. Fornecedores e consumidores devem trabalhar juntos para manter o mercado de energia estável, bem como o mercado de alimentos. Segundo Wang Yi, sanções unilaterais afetam principalmente os países em desenvolvimento. O ministro também declarou apoio à proposta do Secretário Geral da ONU, António Guterres, de ajudar a facilitar a exportação de grãos russos e ucranianos.

Wang Yi advertiu que a crise na Ucrânia reflete o que está ocorrendo no mundo, e clamou pela cooperação entre os povos: “O quão mais desafiadora seja a situação, mais importante continuarmos juntos e buscar cooperação”

- Publicidade Patrocinada -

留言 DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui