Prevent Senior, a empresa pivô de um dos maiores escândalos médicos na história do Brasil

Operadora de plano de saúde foi fundada por irmãos roqueiros em 1997 e não parou de crescer. Alvo da CPI da Covid no Senado, ela é investigada de condutas antiéticas e anticientíficas.

160
Fernando Parrilo, um dos irmãos fundadores da Prevent Senior

Por dez anos seguidos, a Prevent Senior foi destaque no noticiário econômico do Brasil graças ao sucesso de seus negócios. Nascida a partir da compra de uma única ambulância, a empresa familiar inovou ao criar um plano de saúde voltado ao público idoso e cresceu exponencialmente, expandindo uma rede hospitalar própria.

Sua atuação diante da pandemia do coronavírus, porém, fez sua imagem circular internacionalmente como pivô de um dos maiores escândalos médicos da história do país.

A empresa é investigada na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado por conduta antiética e anticientífica na pandemia. Pesam sobre ela denúncias de alteração de prontuários médicos para maquiar mortes por covid-19, realização de pesquisa médica sem consentimento de pacientes e distribuição de medicamentos para tratamento precoce da doença – que não têm qualquer eficácia comprovada.

À CPI, o diretor-executivo da empresa, Pedro Benedito Batista Junior, confirmou que os médicos da Prevent Senior eram orientados a modificar prontuários – após algumas semanas de internação, eles deveriam alterar a classificação internacional de doenças (CID) dos pacientes com diagnóstico de Covid-19 confirmado.

Um dossiê elaborado por médicos e ex-médicos da Prevent Senior sugere que os atos da empresa investigados pela CPI sejam decorrentes de um acordo entre os donos da empresa – os irmãos Eduardo e Fernando Parrillo – e o governo do presidente Jair Bolsonaro.

A empresa também é alvo de investigações feitas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), pelo Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) e pelo Ministério Público do estado.

  • Fundação: 1997
  • Rede própria: 10 hospitais e mais de 30 unidades de atendimento;
  • Funcionários: 11,5 mil – 2,6 mil a mais que em 2019 (+22%);
  • Clientes: 505 mil – 61,5 mil a mais que em 2019 (+9%)
  • Faturamento líquido: R$ 4,3 bilhões – crescimento de 19% em relação a 2019
  • Lucro líquido: R$ 495,6 milhões – 14,6% maior que um ano antes
  • Ativos líquidos: R$ 2,044 bilhões – 30% maior que em 2019

Em 2020, a Prevent Senior ficou em 9º lugar entre as dez maiores operadoras de planos de saúde do país, conforme dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)

Com pouco mais de meio milhão de beneficiários ela respondia por 1,1% de participação no total do mercado. Abaixo dela figurava a Assim Saúde, com 498 mil usuários e participação de 1%. A Bradesco Saúde liderava o ranking, com 3,29 milhões e beneficiários e 6,9% de participação.??

A Prevent Senior nasceu, cresceu e se mantém familiar. Ela é fruto da parceria de dois irmãos, Eduardo e o médico Fernando Parrillo, que tocam juntos – e de forma paralela – os negócios no mercado de saúde suplementar e uma banda de hard rock.

A empresa tem origem em 1996, quando os irmãos Parrillo compraram uma ambulância, que os conduziu rumo à construção do que pode ser considerado um império empresarial no segmento de saúde privada.

Com o veículo, eles abriram na Mooca, na capital paulista, uma pequena empresa especializada no transporte de pacientes hospitalares – Eduardo se tornou médico e assistia os doentes mais graves enquanto Fernando assumia a direção da ambulância.

Um ano depois, os irmãos compraram uma clínica médica, com capacidade para 18 leitos, na Bela Vista, Zona Sul da capital paulista. Nascia ali a Prevent Senior. A empresa foi fundada em abril de 1997 com a inauguração do Hospital Sancta Maggiore Humaitá.

A partir do hospital, Eduardo e Fernando decidiram estruturar um plano de saúde próprio e segmentado. A aposta deles foi pioneira ao lançar um produto específico para o público idoso a preço baixo, na contramão da maioria dos planos suplementares que cobram mais caro de quem tem mais de 60 anos sob o argumento de custos operacionais mais altos para atendimento a essa faixa etária.

O que garante à Prevent Senior poder cobrar menos e, ainda assim, lucrar alto com o púbico idoso é a verticalização do seu negócio – todas as etapas de atendimento ao seu público são feitas em rede própria, sem precisar terceirizar os serviços. Com isso, ela consegue ter mais controle dos custos.

O resultado disso é expresso pela chamada taxa de sinistralidade, índice que mede a relação entre quanto a operadora recebe e o quanto ela gasta com os serviços de saúde prestados. Em 2019, a taxa da Prevent Senior ficou em 68%, enquanto a média do mercado era de 74%.

A alta demanda também colabora com a obtenção de lucro pela Prevent. Dados do Sindicato das Empresas de Seguros e Resseguros de São Paulo (Sindsegsp) mostraram que, antes da pandemia, os idosos formavam o único público que crescia entre os usuários de planos de saúde.

Passados 13 anos de sua fundação, a Prevent Senior foi destaque no ranking Valor 1000, do Valor Econômico, figurando em 11º entre os 20 maiores planos de saúde em lucro líquido do país. Desde então, ano após ano, a empresa se destacou nos principais rankings empresariais do país. Na edição de 2019 do Valor 1000, ela assumiu a sétima colocação entre os maiores planos de saúde do país.

O maior crescimento da Prevent Senior ocorreu entre 2014 e 2019, período em que viu o faturamento anual passar de R$ 1 bilhão para R$ 3,5 bilhões. Ao final de 2020, a empresa que começou com apenas um hospital tinha uma rede própria com dez hospitais, quatro unidades de pronto atendimento e cerca de 30 unidades de atendimento distintas, entre laboratórios e núcleos de medicina avançada.

O balanço financeiro divulgado pela empresa mostra que ela encerrou 2020 com um desempenho expressivo. O faturamento líquido foi de R$ 4,3 bilhões, cerca de 19% acima do registrado em 2019 (R$ 3,6 bilhões). O lucro líquido, por sua vez, saltou 14,6% no mesmo período, passando de R$ 432,1 milhões para R$ 495,6 milhões.

O capital humano da empresa também cresceu na pandemia. Sua carteira de clientes aumentou 9% na comparação com 2019, passando de 464 mil para 505 mil ao final de 2020. Já o número de empregados diretos passou de 8,9 mil para 11,5 mil, um salto de 22%.

Em termos de valor de mercado, a empresa cresceu 30% ao longo do ano – seu ativo líquido passou de R$ 1,564 bilhão em 2019 para R$ 2,044 bilhões em 2020.

Antes da pandemia, a atuação da Prevent Senior era restrita a São Paulo, onde foi fundada e teve erguida toda a sua rede hospitalar. Em meio à crise sanitária, ela deu início à expansão de seus negócios para outros estados. Começou a operar no Rio de Janeiro e, conforme destacado no balanço financeiro do ano, a estruturar seu ingresso nos mercados de Curitiba, Porto Alegre e Brasília.

Os irmãos também são ‘sócios’ em outro empreendimento: uma banda de hard rock. A parceria musical teve início, de forma amadora, em 1983 em uma escola da Mooca, Zona Leste de São Paulo, onde os irmãos estudaram.

A empreitada colegial dos irmãos Parrillo no mundo da música foi deixada de lado por mais de 25 anos. Em 2009, eles decidiram formar a banda de hard rock novamente junto aos amigos de infância, os também irmãos Paulo e Fabio Ressio. O quarteto foi batizado Doctor Pheabes e ganhou repertório próprio, em inglês.

Na carreira musical, os donos da Prevent Senior são Eduardo Parras e Fernando Magrão. Dada a trajetória da empresa e da banda, ‘irmãos façanha’ é um apelido que lhes serviria bem.

Em 2017, foram escalados para os dois maiores festivais de música do Brasil – o Lollapalooza e o Rock in Rio – nenhuma outra banda realizou esse feito. Com apenas dois álbuns gravados em estúdio próprio, instalado na sede da Prevent Senior, a proeza da Doctor Pheabes tem por trás a influência financeira dos irmãos executivos, já que a empresa de saúde patrocinou os grandes festivais.

“Se você acha que abrimos só porque patrocinamos, é uma verdade. Tá bom. Qual banda deveria estar no nosso lugar?”, disse Eduardo em entrevista ao repórter do g1 Caue Muraro às vésperas da apresentação no Lolla.

“Nós fazemos toda a parte médica na maioria dos eventos. E você acaba conhecendo o dono. O cara quer agradar. Ele vem aqui e almoça comigo – entre escolher um monte de banda (…) quando o cara almoça com você, ele sempre vai dar preferência para você”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui