Turismo gastronômico impulsiona economia em Xinjiang

Importante ponto na Rota da Seda, local reúne influências do Oriente Médio, Ásia Central e Rússia

168

A região autônoma de Xinjiang tem visto um aumento na sua economia e crescimento do turismo através da gastronomia. O local foi importante para a Rota da Seda e possui uma culinária com influências do Oriente Médio, Ásia Central e Rússia.

No Grande Bazar em Urumqi, capital de Xinjiang, por exemplo, centenas de barracas com especialidades locais, de frutas da estação a espetos de carne, surgem à vista. De particular interesse é o Museu Naan, que homenageia o famoso pão que é parte integrante da dieta, especialmente dos uigures.

O museu revela as origens e a história do naan, bem como o seu processo de produção. É possível ver dezenas de variedades, desde as mais tradicionais com gergelim ou cebola, até alguns doces com pétalas de rosa ou nozes.

Outro lugar que presta homenagem a pão é a Naan Culture Village, localizada na cidade de Yili, perto da fronteira com o Cazaquistão. O local possui mais de 5 mil metros quadrados, incluindo áreas de produção e processamento, além de salas de exposição e um museu. São mais de 32 variedades de naan à venda, além de outros produtos locais, que os visitantes podem comprar no local, mas que também são exportados para o exterior.

Em Yining, outra cidade conhecida, o turismo gastronômico também tem servido de motor para a economia local. A área, que possui hotéis, restaurantes e lojas, foi classificada como um destino quatro estrelas nacionalmente.

Um dos negócios preferidos do público é a Sorveteria Gulandam, que oferece sorvetes artesanais de chocolate, baunilha ou pitaia, entre outros sabores. Além disso, o governo local investiu 180 milhões de yuans para a proteção e incentivo desta área.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui