Vencedoras do leilão do 5G

Saiba quais empresas conquistaram lotes no leilão feito pela Anatel que começou nesta quinta (4) e deve terminar na sexta (5). Previsão é movimentar R$ 49,7 bilhões.

322

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) deu início nesta quinta-feira (4) ao leilão do 5G, a internet de quinta geração. A previsão é que termine apenas na sexta (5). 

No leilão, foram oferecidos lotes em quatro faixas de frequência: 700 MHz (megahertz); 2,3 GHz (gigahertz); 3,5 GHz; e 26 GHz. 

Essas faixas funcionam como “avenidas” no ar para transmissão de dados. É por meio delas faixas que o serviço de internet 5G será prestado. O prazo de outorga — direito de exploração das faixas — será de até 20 anos. 

Cada uma dessas faixas foi dividida em blocos nacionais e regionais. O modelo do leilão prevê que as interessadas façam ofertas por esses blocos.

Até o momento, o leilão do 5G já tem os seguintes resultados: 

Faixa de 700 MHz

Winity II Telecom

A Winity II Telecom, ligada ao Fundo Pátria, venceu a disputa pelo primeiro lote do leilão do 5G. Com isso, o Brasil contará com uma nova operadora de telefonia móvel com autorização para oferecer o serviço em todo o país. 

Faixa de 3,5 GHz, lotes nacionais

Claro, Vivo e TIM arremataram nesta quinta-feira (4) os três lotes na faixa de 3,5 GHz (gigahertz ), considerada a principal do leilão do 5G realizado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Faixa de 3,5 GHz, lotes regionais

  • Sercomtel, vai atuar na região Norte e no estado de SP, salvo exceções.
  • Brisanet, vai atuar nas regiões Nordeste e Centro-Oeste, salvo exceções.
  • Consórcio 5G Sul, vai atuar na região Sul.
  • Cloud2U, vai atuar nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais, salvo exceções.
  • Algar Telecom, vai atuar em algumas localidades em Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás e São Paulo.

Os lotes regionais permitem que as empresas vencedoras ofereçam o serviço de internet de quinta geração em regiões específicas do país, ou seja, essas empresas não terão uma atuação nacional. 

A faixa de 3,5 GHZ é exclusiva para o 5G, com capacidade de transmissão de altíssima velocidade. É a faixa de frequência mais usada no mundo inteiro para o 5G, com foco no varejo (consumidores finais) e na indústria. O espectro é considerado ideal para atender áreas urbanas. 

A faixa, incluindo os lotes nacionais e regionais, foi orçada em cerca de R$ 30 bilhões, sendo quase R$ 29 bilhões destinados ao cumprimento das obrigações previstas no edital. 

Faixa de 2,3 GHz, lotes regionais

  • Claro, vai atuar nas regiões Norte, Centro-Oeste e Sul e no estado de São Paulo, salvo exceções;
  • Brisanet, vai atuar na região Nordeste;
  • Vivo, vai atuar nos estados de RJ, ES e MG.

Na faixa de 2,3 GHz, as contrapartidas exigidas pela Anatel tratam da cobertura de 4G em regiões urbanas que, hoje, ainda não têm acesso a essa tecnologia. 

As empresas terão que garantir redes 4G ou superiores em 95% da área urbana dos municípios com menos de 30 mil habitantes sem cobertura atual, além de localidades específicas listadas no edital.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui