Vice-primeiro-ministro japonês fala sobre defesa de Taiwan e irrita China

Anexação de Taiwan pela China é vista como ameaça de sobrevivência pelo governo japonês

216

O vice-primeiro-ministro do Japão disse que o país precisa defender Taiwan com os Estados Unidos se a ilha for invadida, informou a agência de notícias Kyodo na noite de segunda-feira (5), irritando Pequim, que considera Taiwan como seu próprio território.

A China nunca descartou o uso da força para reunir Taiwan com o continente e os recentes exercícios militares da China e de Taiwan no Estreito de Taiwan aumentaram as tensões.

“Se um grande problema ocorresse em Taiwan, não seria demais dizer que poderia estar relacionado a uma situação de risco de sobrevivência (para o Japão)”, disse o vice-primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, em uma festa de arrecadação de fundos por um colega liberal-democrata e legislador do partido, de acordo com a Kyodo.

Uma “situação de ameaça à sobrevivência” refere-se a uma situação em que ocorre um ataque armado contra um país estrangeiro que mantém uma relação próxima com o Japão, o que, por sua vez, representa um risco claro de ameaçar a sobrevivência do Japão.

Tal situação é uma das condições que precisam ser atendidas para que o Japão exerça seu direito de autodefesa coletiva ou ajude um aliado sob ataque.

“Precisamos pensar muito que Okinawa pode ser o próximo”, disse Aso, citado pela Kyodo.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, disse em uma entrevista coletiva nesta terça-feira (6) que os comentários de Aso “prejudicaram a base política das relações China-Japão”, e a China “se opôs resolutamente” a eles.

“Ninguém deve subestimar a firme determinação, a firme vontade e a formidável capacidade do povo chinês de defender a soberania nacional”, disse ele.

A China reivindica um grupo de ilhotas controladas por japoneses no Mar da China Oriental. As minúsculas ilhas desabitadas, chamadas de Senkaku no Japão e Diaoyu na China, ficam ao largo da ilha de Okinawa, no sul do Japão.

Aso, questionado em uma coletiva de imprensa nesta terça-feira sobre a posição do Japão a respeito, disse que qualquer contingência sobre Taiwan deve ser resolvida por meio do diálogo.

“Estamos monitorando a situação de perto”, disse Aso, que também é ministro das finanças.

O secretário-chefe de gabinete, Katsunobu Kato, quando questionado se o comentário de Aso na segunda-feira estava de acordo com a posição do governo, se recusou a comentar, dizendo que não estava ciente do comentário do Aso em detalhes, mas reiterou a política oficial do Japão sobre o assunto.

“O Japão espera que a questão de Taiwan seja resolvida por meio do diálogo direto entre as partes envolvidas de maneira pacífica. Essa tem sido nossa posição consistente”, disse o porta-voz do governo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui