Doria diz que China liberou insumos para fabricação da CoronaVac no Brasil devido ao esforço do governo de SP

302

Postagem nas redes sociais foi feita após o presidente Jair Bolsonaro dizer nesta segunda-feira (25) que foram liberados para exportação 5,4 mil litros de insumos para produção da vacina pelo Instituto Butantan. Governador de SP chegou a anunciar antes do presidente que se reunirá com embaixador chinês Yang Wanming na terça-feira (26).

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta segunda-feira (25) que a liberação de 5,4 mil litros de insumos para produção da da CoronaVac só foi possível devido ao esforço da gestão estadual e do Instituto Butantan.

A postagem foi feita depois de o presidente Jair Bolsonaro publicar em uma rede social que a Embaixada da China no Brasil informou que os insumos estavam liberados.

“Não é verdade o que disse o Presidente Bolsonaro em suas redes, de que a importação de insumos da China foi uma realização do Governo Federal. Todo o processo de negociação com a China para liberação de insumos para a vacina do Butantan foi realizado pelo Instituto e pelo Governo de São Paulo”, escreveu Doria em suas redes sociais.

Em entrevista à TV Globo, Doria se mostrou indignado e classificou a atitude de Bolsonaro como um “oportunismo escancarado”.

Em nota, Doria disse que a negociação com a China “é continua e nunca foi interrompida, mesmo quando o Governo Federal através do presidente da República anunciou publicamente em mais de uma ocasião, que não iria adquirir a vacina por causa de sua origem chinesa”.

Após a publicação de Bolsonaro na rede social, o embaixador Chinês Yang Wanming, escreveu mensagem na mesma rede: “A China está junto com o Brasil na luta contra a pandemia e continuará a ajudar o Brasil neste combate dentro do seu alcance. A União e a solidariedade são os caminhos corretos para vencer a pandemia”.

Por Cesar Tralli, TV Globo — São Paulo

无评论 SEM COMENTÁRIOS

留言 DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui